sábado, 30 de agosto de 2008

Por que o estágio para quem não exerce o magistério: o aprender a profissão



No próprio título do texto de Selma Garrido Pimenta e Maria Socorro Lima(2004) está a resposta da indagação na primeira frase. Por que o estágio para quem não exerce o magistério? A importância está no aprender a profissão. Como confrontar a teoria com prática se não estagiarmos? De acordo às autoras, o estágio supervisionado para os alunos que ainda não exercem o magistério pode ser um espaço de convergência das experiências pedagógicas vivenciadas no decorrer do curso e, principalmente, ser uma contigência de aprendizagem as profissão docente, mediada pelas relações sociais historicamente situadas. (p. 102)

Para que consigamos unir teoria e prática, é preciso que construamos uma reflexão crítica sobre a nossa vivência do estágio. Também, que estejamos com a mente aberta para aprender com os que já têm experiência na área de ensino.

"Um dos primeiros impactos é o susto diante da real condição das escolas e as contradições entre o escrito e o vivido, o dito pelos discursos oficiais e o que realmente acontece"(p. 103). Realmente, no meu primeiro estágio me defrontei com essa afirmação de Selma e Maria do Socorro(2004),
eu veria então na prática se eu poderia ainda criticar o behaviorismo Skinneriano, quando ele fala sobre a necessidade um condicionamento, sobre o estímulo e a resposta, criando uma espécie de chantagem para com as crianças, pois de acordo à Skinner:

"O pai reclama do filho até que cumpra uma tarefa: ao cumpri-la, o filho escapa às reclamações (reforçando o comportamento do pai).Um professor ameaça seus alunos de castigos corporais ou de reprovação, até quem resolvam prestar atenção à aula; se obedecerem estarão afastando a ameaça de castigo (e reforçam seu emprego pelo professor). De um ou outra forma, o controle adverso intencional é o padrão de quase todo o ajustamento social - na ética, na religião, no governo, na economia, na educação, na psicoterapia e na vida familiar (Skinner, 1971, pp. 26-27)

E eu pude sentir na pele a necessidade de tentar o condicionamento, para que eu pudesse ter o silêncio desejado, para mantê-los sentados, para que prestassem atenção. E usar da chantagem pela recompensa, como ganhar massinha de modelar, sair para o recreio, contar histórias.

As autoras falam dos professores insatisfeitos que vamos encontrar nas escolas, e é verdade. Inúmeros professores só continuam com a profissão por não terem habilidade para exercer outra profissão ou por já estarem acomodados e estáveis.

Bem colocado o que elas falam sobre uma de nossas principais dificuldades, que trata-se das aulas em período de estágio. Já temos que nos preocupar com o estágio, com o trabalho, e ainda temos que nos preocupar com as atividades de outras disciplinas, que poderiam ser melhor planejadas para outros semestres e deixar-nos apenas com o estágio. Temos que arrumar tempo para planejar aulas, atividades, para trabalhar e para dedicar-nos a outras disciplinas. Isso por certo acarretará uma aprendizagem mecânica por nossa parte, já que não poderemos nos dedicar suficientemente a todas as nossas tarefas.

"Aprender a profissão docente no docorrer do estágio supõe estar atento às particularidades e às interfaces da realidade escolar em sua contextualização na sociedade"( p. 111). Para isso precisamos conhecer a realidade da escola em que vamos estagiar e também a realidade dos seus alunos, para diagnosticarmos se há problemas nessa realidade que influam na vida escolar.

De acordo às autoras, um dos componentes essenciais para a prática do estágio é a pesquisa. Como discutimos em sala de aula, pesquisa é busca(...). Isso inclusive para os profesores formadores, que podem ter a consciência de que, o estágio pode propiciar a uma formação contínua, se estiverem com a mente aberta para renovar seus conceitos e métodos.


PIMENTA, Selma Garrido e LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e Docência. São Paulo: Editora Cortez, 2004.

2 comentários:

Gลbiiziηhล disse...

Leeeeoooo..

Add eu aí.. experienciasdomeuestagio.blogspot..

Bjus

Carlos Alberto Carvalho disse...

Oi Léo!
Adc seu blog...
Super legal,
Bem bolado... fofinho!
Rsrsrsrs!!!
Em breve postarei um comentário
sério...sobre os artigos, tá?
Bjinhos!!!